Pensamento...

"Toma como bússola as coisas espirituais, orientando-te por elas. Elas te conduzirão aonde deves de fato chegar." - Um roteiro para ti. p. 42.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

CINTILAÇÃO DAS ESTRELAS - JOSÉ RAUL TEIXEIRA / ESPÍRITO CAMILO



Allan Kardec, o insigne codificador da Doutrina Espírita, adotava o exame da linguagem dos Espíritos como critério para avaliar a sua superioridade ou não. Semelhante critério continua válido, devendo ser adotado por nós na avaliação da literatura mediúnica.
O Espírito Camilo, através dos seus escritos, tem dado mostras suficientes de sua elevação. Mediante uma linguagem rica e profunda, tem nos brindado com excelentes reflexões doutrinárias. Em sua obra Cintilação das Estrelas, psicografada pelo médium José Raul Teixeira, cujo prefácio data do ano de 1992, apresenta um conjunto de 35 mensagens do mais alto teor espiritual. Embasada no Evangelho de Jesus e nos postulados espiritistas, esta obra tange assuntos diversos que vão desde o processo histórico das três Revelações até à realidade inquestionável do nosso mundo interior.
Cada mensagem exige esforço meditativo, a fim de que o seu conteúdo seja devidamente apreendido.
O Espírito Camilo, como outras entidades veneráveis, é a voz que clama no deserto, para nos servirmos de uma figura evangélica, pois num tempo em que tantos espíritos se manifestam, poucos têm demonstrado a mesma sabedoria e profundidade de pensamento.
Bem-aventurados somos nós, por termos à nossa disposição fartos recursos para nossa iluminação e espiritualização, ausentes em outras épocas...
Excertos:
I - “(...) cada um transformando a sua bagagem reencarnatória em ajuda para o progresso geral (…).” (p.10).
II - “Honramo-nos, por isso, ante o labor crescente da exuberante Doutrina Espírita que, como potente cintilação das estrelas, derrama-se por sobre os indivíduos, clareando-lhes a marcha evolutiva, há quase um século e meio, propiciando com tal esplendor alento e alegria para os corações sequiosos de harmonia, entendimento lúcido e maturidade para as mentes que buscam respostas para mil-e-uma situações da senda humana.” (p.10).
III - “(...) explicando que o passamento é tão somente alternação de campo de vibração, capaz de endereçar a criatura para a colheita do que haja semeado no seu roteiro terrestre.” (p.26).
IV - “Perante quaisquer dúvidas que se interponham entre os Estatutos efêmeros de Cezar e os Códigos Eternos do Cristo, não trepidemos em face da opção. Estaremos sempre com Cristo, embora respeitemos a Cezar.” (p.30).
V - “Busca o amor que o Cristo aponta; une-te à paz que o Evangelho te propicia; envolve-te nos bálsamos de alegria que te vacinarão contra tenebrosas investidas do mal, como reais depredadores das potencialidades grandiosas do Espírito.” (p.50).
VI - “Diante do companheiro atormentado, tolerância abundante, demonstrando o quanto de equilíbrio já nos enriquece, auxiliando-o como pudermos e o quanto nos permitam as forças do Espírito. Ninguém se detenha, contudo, se o irmão enfermo desdenhar a cooperação fraternal. Avançar adiante será a palavra de ordem, entregando-o às Sublimes Leis de Deus, que tudo corrigem e tudo conduzem, a seu tempo.” (p.54-55).
VII - “Sabedor que és de que o que contamina o homem é o que lhe 'sai' do imo, apresentado em seus atos, entendas que, do mesmo modo, é o substrato da sua intimidade que tem o poder de conferir-lhe alforria, libertando-o das celas tormentosas do passado de delitos, a fim de que se alteie feliz, refletindo a luz dos Céus que haja conseguido, com esforço, amealhar.” (p.70).
VIII - “Deus se manifesta no mundo através da sua perfeita legislação. Cabe ao indivíduo humano assenhorear-se dela e passar a viver em consonância com os seus preceitos, a fim de que reflita a sublime grandeza do Criador.” (p.82).
IX - “O decesso da máquina orgânica, que ora se desagrega, no fenômeno biológico normal, não determina o fim da vida. Caracteriza, isto sim, o pano que desce ao término de mais um ato, em pleno cenário da Vida, que se projeta sobre nós e nos plenifica, como doação de amor do Coração de Deus.” (p.91).
X - “Consoante nos informam os Mentores da Humanidade, Jesus é o Modelo e Guia para os indivíduos, sem qualquer especificação de crenças ou condição social, de castas ou situação econômica, de nível intelectual ou sintonia política, pois enquanto o Espírito do Cristo não for assimilado por todos, um a um, gerando transformações formidáveis no seio das almas, nenhum movimento que ora se processa no planeta experimentará plenitude e maiores conquistas, porque quando falamos em progresso espiritual não podemos descartar que, vivendo todas as experiências da Terra, o Espírito somente alcança o desiderato da sua evolução, quando se mostra conforme o seu Modelo e Guia, que é Jesus. Ele, então, para nós todos, representa o Excelso Governo da nossa Escola planetária.” (p.119).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar

Carregando...