Pensamento...

"Eu sou o Colombo da minha alma e diariamente descubro nela novas regiões." | Gibran Khalil Gibran.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O FIM DO MUNDO

Muitas pessoas previram e esperaram o fim do mundo para o ano 2000, acreditavam nisso piamente, sem sequer duvidar que ele não pudesse acontecer... Contudo, o vaticínio sinistro não se verificou. O mundo ainda existe e segue cumprindo seus ciclos de rotação e de translação de forma inalterável, como sempre fez desde a sua origem, completamente alheio às profecias apocalípticas.
Agora, com o término do calendário maia e com a decifração de uma antiga profecia que anuncia o regresso dos deuses à terra, novamente o fim do mundo se torna pauta de discussão nos meios mais diversos.
No entanto, será mesmo que o mundo vai terminar?
Para os cientistas a resposta é afirmativa. Sim, o mundo vai terminar! Mas isso se daria em uma escala cósmica, daqui há milhões de anos, acompanhando o colapso energético da estrela que o ilumina, o Sol.
O Espiritismo, que é ao mesmo tempo uma ciência, uma filosofia e uma religião, partilha do ponto de vista dos cientistas, entendendo que tudo o que é de ordem material está sujeito a toda sorte de transformações. Portanto, assim como nosso mundo teve um começo, também terá um fim.
E como o Espiritismo se posiciona frente às previsões para 2012? Da mesma forma que se posiciona diante de qualquer previsão. Analisa racionalmente a possibilidade da previsão concretizar-se ou não, mas sem ligar muita importância a ela, permanecendo focado em sua proposta de iluminação do ser humano.
Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, preconizava que deveríamos sempre atentar para as revelações e os ensinos coletivos e concordantes dados pelos Espíritos, desconfiando das revelações e dos ensinos feitos isoladamente.
Sobre o fim do mundo, parece ser lugar comum nas comunicações mediúnicas que circulam no Brasil e em outras partes do mundo, interpretar as previsões e as profecias que estão em relevo num sentido figurado. Ao invés de significar o desaparecimento material do globo, simbolizariam um conjunto de transformações drásticas e profundas que culminariam com o estabelecimento de uma nova ordem planetária.
Alguns Espíritos chegam a comparar as diferentes crises, problemas e conflitos que vivenciamos na atualidade, às dores do parto, mas o parto desse nova realidade que estaria em gestação, já prestes a nascer.
Quanto à profecia maia sobre o regresso dos deuses, talvez ela encerre em si o sentido de busca da espiritualidade, que vem se intensificando desde as últimas décadas.
Se o mundo vai ou não acabar no final deste ano ou daqui há milhões de anos é difícil de prever, mas isso não é relevante, pois o essencial é vivermos da melhor maneira possível enquanto ele e nós aqui estamos, em regime de respeito, de interdependência e de consciência espiritual. Talvez a melhor maneira de evitar o fim do mundo seja aprendermos a conviver em paz uns com os outros, o que ainda não conseguimos realizar, mesmo com todos nos nossos avanços científicos e tecnológicos.
Na perspectiva do Espiritismo, assim, o mundo material pode deixar de existir sem afetar significativamente o mundo espiritual, lugar de onde todos viemos e lugar para o qual todos voltaremos, mais cedo ou mais tarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar