Pensamento...

"Eu sou o Colombo da minha alma e diariamente descubro nela novas regiões." | Gibran Khalil Gibran.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

PERANTE O FUTURO - CHICO XAVIER / EMMANUEL


A Terra é um campo em que o Senhor te permite semear o porvir.
***
Cada criatura aí realiza a plantação que lhe corresponde aos desejos.
***
Todos os lavradores sonham...
Todos lutam...
Todos esperam...
Se já aprendeste que somente a lavoura da verdade e do bem te conferirá ao espírito a colheita de luz, consagra-te ao trabalho consciente da própria conquista e auxilia a todos os que te cercam.
***
Compadece-te dos que foram atacados pela fadiga, antes do entardecer...
***
Ajuda aos que sofrem o assalto de vermes devoradores na leira que lhes guarda a esperança...
***
Socorre os que foram surpreendidos pela tempestade quando as sementes de suas melhores aspirações apenas começavam a germinar...
***
Não condenes os que foram vencidos pelo cansaço, convertido em desânimo, porque só o Senhor sabe quanto lhes doerá o recomeço...
***
Estende braços amigos aos que vacilam na hora de aflição e suor, porque soará igualmente para teus passos o instante escuro das provas árduas na preservação do trabalho que te foi concedido...
***
Não censures os que transviaram à distância dos próprios deveres, de vez que há enfermidades que obscurecem o entendimento e dilaceram o coração.
***
Ajuda a todos...
Serve a todos...
Vela pelo bem de todos...
Compreende a todos e oferece a todos cooperação e bondade...
E cada vez que a perturbação te induza a lamentável engano das horas perdidas, não comentes o mal, porque o mal é assim como o pântano envenenado, que a derramar-se do leito, em que o Senhor lhe circunscreve o raio de ação, pode arruinar o teu próprio caminho, destruir os teus próprios recursos, aniquilar-te o trabalho e ameaçar o equilíbrio e a prosperidade, a alegria e a segurança do campo inteiro.

Referência Bibliográfica:

XAVIER, Francisco C. / Espírito Emmanuel. Inspiração. São Bernardo do Campo, SP: GEEM (Grupo Espírita Emmanuel), 1978. p.90-94.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar